Uxmal, beleza de arquitetura maia

Apesar de menos conhecidas do que a irmã Chichén Itzá, as ruínas de Uxmal são um dos conjuntos mais bem preservados e impressionantes da arqueologia maia no México. Era uma importante cidade na península de Yucantán e foi habitada por vários povos – o mais famoso deles os maias.

As ruínas vistas do topo da Gran Pirámide

Embora Uxmal signifique “construída três vezes”, na verdade a cidade foi erguida em cinco períodos diferentes. Na arquitetura que vemos hoje aparece uma forte influência dos indígenas do Norte do México, em imagens de serpente, símbolos fálicos e colunas. As fachadas são lindas, lindas, trabalhadas quase sempre em honra ao deus Cha’ac, que governava o regime de chuvas.

Representações de Cha'ac no Cuandrángulo de las Monjas

Sua presença na arquitetura de Uxmal é a prova do quanto a água era escassa e essencial para a sobrevivência da cidade. Yucantán é, na verdade, um grande aquífero, onde a água está concentrada debaixo do solo, protegida por rochas. Não há rios visíveis. Algumas cidades maias têm poços naturais, chamados de cenote. Mas Uxmal, não. A primeira ruína que vemos ao chegar no parque arqueológico é uma espécie de piscina, usada para coletar água no período de chuva. Na seca, essa era a única provisão disponível. Por isso, o centro da cultura em Uxmal era dedicada a Cha’ac, as oferendas eram para que a chuva não faltasse.

O templo Casa del Adivino, o primeiro grande que se vê na chegada a Uxmal

Em cima de um morrinho, o Palacio del Gobernador tem a fachada mais detalhada do estilo arquitetônico Pucc, característico da região

O Cuandrángulo é como se fosse uma praça envolta de construções. É de onde se assiste ao 'Luz y Sonidos'

Não há consenso entre os arqueólogos sobre o motivos de Uxmal ter sido abandonada por seu povo em 900 a.C., mas acredita-se que uma seca prolongada tenha tornado a vida inviável na cidade.

Como visitar

Uxmal fica a 80 km de Mérida, no estado mexicano de Campeche. Não é difícil chegar de carro às ruínas e o estacionamento custa US$ 1. Também dá para chegar lá no famoso ônibus da Rota Puuc, mas a volta pode ser demorada. Dependendo da hora – e se for sábado ou domingo – os ônibus de volta para Mérida passam lotados e você terá que esperar na estrada.

Quando fui, o calor estava infernal e eu já estava que nem pimentão, esturricada pelo sol. Com medo de uma insolação, deixei para visitar Uxmal à tarde e ficar à noite para o espetáculo Luz y Sonidos, que conta a história da cidade e sua parceria com Chichén Itzá. É um pouco cafona, mas até que é bonito guardar as lembranças das ruínas sendo iluminadas, coloridas, no breu da noite de Campeche.

A parte engraçada é que na encenação em que os maias pediam chuva à Cha’ac, começou a cair um temporal. Assim que o espetáculo acabou, acabou a chuva. Parece que Cha’ac fez as pazes com Uxmal.

Não é possível visitar Uxmal à noite sem que você já tenha comprado o pacote Luz y Sonidos. Custa cerca de US$ 60, mas inclui transporte Mérida-Uxmal-Mérida, a entrada para o parque e para o espetáculo. Para mim, que não queria tomar sol demais, valeu a pena. Para comprar, fale com o recepcionista do hotel/pousada/albergue onde estiver em Mérida. Eles contratam o serviço na agência de viagens e você só precisa esperar na recepção, na hora marcada. Molezinha.

À tarde, entretanto, o sol e o calor são inevitáveis, então use bastante protetor solar e tome litros de água. A sensação é de tomar um banho de suor, principalmente depois de chegar ao topo da Gran Pirámide. Mas não deixe de subir a escadaria! Será sua única oportunidade de estar no alto de uma pirâmide maia. Todas as outras foram fechadas, porque existe o risco de a pessoa cair.

Gran Pirámide, a única onde ainda é possível subir nas ruínas maias do México

É que os degraus são estreitos, para que os maias subissem de lado, sem olhar diretamente para o topo, em posição de submissão. Funciona para a devoção. Mas para viajantes, é um perigo.

Outro item importante na visita a Uxmal: repelente. Os mosquitos atacam mesmo! Não se esqueça de levar, tampouco de reaplicar, por causa do suor.

3 Comentários

Arquivado em América do Norte

3 Respostas para “Uxmal, beleza de arquitetura maia

  1. Pingback: : Sysmaya

  2. Pingback: Yaxchilán, a onírica rival de Palenque | Com a mochila nas costas

  3. Nívia

    Sheila, adorei conhecer seu blog. Foi um dos raros blogs brasileiros em que consta algo de Uxmal. Chego em Mérida as 10h de uma terça. Pensei em alugar um carro e ir direto a Uxmal, depois vi este espetáculo de luz e som, que me agradou, especialmente por não ver nada mais interessante à noite em Mérida. Então fiquei na dúvida, alugar o carro ou fazer o tour? Me pareceu um pouco caro…. Este tour passa quanto tempo nas ruínas? Qual o horário que saiu de Mérida? Demorou muito para voltar? São muitos turistas no mesmo ônibus? Desculpa o batalhão de perguntas e obrigada pelas ótimas informações.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s