Um mergulho no cenote Ik-Kil

Depois de passar horas sob o sol em Chichen Itzá, nada melhor do que dar um mergulho num cenote refrescante. O mais próximo é o cenote sagrado Ik-Kil, onde os reis maias e suas cortesãs se banhavam.

O cenote fica dentro da área do parque eco-arqueológico e é acessível por caminhada. Mas como visitei Yucatán em setembro e estava um calor insuportável, preferi ir de microonibus.

Há uma entrada de US$ 6, que dá direito ao banho e uso dos banheiros e vestiários. O passeio do cenote não está incluído no de Chichen Itzá, mas avise seu guia que quer conhecer. Ele pode sondar com o resto do grupo se todos querem ou te encaixar num outro grupo de visitantes.

Visto do alto, o cenote é uma beleza. Dá vontade de pular de lá de cima mesmo. Mas não pode, claro. É necessário descer uma escada que leva até a água.

Foto de Sheila Machado

O cenote visto da superfície

O mergulho é inacreditavelmente delicioso. A água é fresca, sem ser gelada, com uma temperatura de 25ºC. Limpíssima, é uma diversão ver os peixinhos. Do alto da gruta caem cipós e pequenas  quedas d’água. Também dá para pular na água a partir de um platô na gruta, e não existe o risco de bater com o pé ou com a cabeça numa pedra, como acontece em cachoeiras. O cenote tem profundidade de 50 metros. Só arqueólogos já foram capazes de chegar ao fundo.

Foto de Sheila Machado

Água fresquinha

Um hotel cinco estrelas está sendo construído para os visitantes com mais dinheiro poderem passar a noite no ecoparque. Os dormitórios serão em formatos de palapas, as casas maias ovais, mas com todo o conforto que espera aqueles que podem pagar pagar por um hotel cinco estrelas. As plantas e flores da decoração serão nativas do território maia.

O resturante, aparentemente, será o mesmo que hoje já serve os visitantes de Ik-Kil, o Xaybe’h. É um bufê com comidas típicas regionais. Nada muito delicioso, mas vale para experimentar vários pratos de uma vez só. Custa cerca de US$ 12. Bebidas são cobradas à parte.

O que é um cenote?

São buracos no solo de pedra-pomes, cheios de água que corre de rios subterrâneos. Podem ser profundos ou rasos.

Na península de Yucatán, há cerca de 3 mil cenotes. Apenas 1400 já foram estudados por geólogos ou arqueólogos.

Sagrados para os maias, os cenotes serviam como fonte de água potável e entrada para o mundo subterrâneo, para onde vão os mortos.

2 Comentários

Arquivado em América do Norte

2 Respostas para “Um mergulho no cenote Ik-Kil

  1. Fabiana Guerra

    Olá, qual foi seu roteiro? Onde ficou hospedado? Teve algo que o desagradou? Valew

  2. eduardo

    cenote muito lindo mesmo visitei algum tempo atras, segue o meu video de viajem.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s